Nova pagina 2

 

 
Nova pagina 2

Principal   

Quem somos   

Últimas notícias   

Eventos   

Notícias da Saúde   

Artigos da Saúde   

Notícias da Enfermagem   

Vestibulares   

Instituições de Ensino   

Cursos e capacitações   

Concursos em Destaque   

Calculadoras   

Links Interessantes   

Terminologias   

Pesquisas e Estudos   

Biblioteca Virtual   

Enfermagem   

Biológicas e da Saúde   

Pós-Graduação   

Idiomas   

Áreas de Atuação   

Conselhos   

Enfer. em Saúde Pública   

Enfermagem do Trabalho   

Artigos   

Monografias   

Teses e Dissertações   

Leis,   
Decretos e Resoluções   

Código de Ética   

 
Nova pagina 2
   | 1 enfermeiros on-line

Concursos!  

  Notícias da Saúde
Paraíba entre os estados sem fila de espera para transplante de córnea


O estado da Paraíba está entre os estados do Brasil em que não há fila de espera para efetuar transplante de córnea, segundo informações do site Cooperativismo.org, de acordo com levantamente feito pelo portal Sis Saúde.

A boa notícia para os paraibanos vem acompanhado do indicativo de que o Brasil deve expandir serviços de transplantes, mas para isso terá que investir em capacitação, já que os procedimentos de transplante são altamente complexos e exigem tecnologia humana e de equipamentos.

O Brasil tem a meta de atingir, em 2017, uma taxa de 17 doadores a cada milhão de habitantes. No entanto, os esforços nessa área devem ser redobrados, pois, para o transplante de órgãos aumentar no Brasil, é essencial fortalecer quatro pilares, responsáveis pela sustentação do processo de doação para o transplante: legislação, financiamento, organização e educação.

As medidas legais incluem a implementação de um sistema de registro de doadores voluntários e a prevenção de qualquer forma de comércio através de um maior controle sobre os transplantes de doadores vivos não parentes e proibição de transplantes com doadores falecidos que eram estrangeiros não-residentes no país, afirmam os pesquisadores.

No que diz respeito às medidas financeiras, os ajustes do financiamento disponível para a colheita de órgãos e transplante precisam ser feitas, a fim de incluir novos medicamentos. Entre as medidas organizacionais, são consideradas vitais as de treinamento e motivação para médicos intensivistas e neurologistas, para um correto diagnóstico de morte encefálica e, consequentemente, manutenção de potenciais doadores.

Os hospitais também precisam ser mais bem equipados, através da compra de equipamentos, formação de coordenadores hospitalares de transplante e com a formação de equipes para captação de órgãos e transplante, disponível 24.


Fonte:  Correio da Paraíba



 Este conteúdo foi visitado 1030 vezes.  

<< Voltar para a página anterior...
Livros - Submarino.com.br
Nova pagina 2

Nova pagina 2
 
 
 


Acompanhe nosso RRS

 

 

 
Nova pagina 2